Mais de 70 anos de experiência com tecnologia de carregamento de baterias

Bateria chumb-ácido em diferentes versões, tecnologias AGM e EFB, baterias de íon de lítio: hoje as possibilidades de abastecimento de veículos com energia são extremamente variadas. Na qualidade de especialista em todas as questões relacionadas à bateria de arranque, a Fronius apresenta um abrangente panorama de todos os tipos de bateria usuais, indicando as vantagens e desvantagens das diferentes tecnologias.

Tecnologias de baterias

A Fronius possui mais de 70 anos de experiência com tecnologia de baterias

Baterias de arranque ou baterias SLI (Starting, Lighting, Ignition) são utilizadas no arranque de motores de combustão. Elas fornecem uma grande quantidade de energia por pouco tempo e podem realizar alguns milhares de processos de partida. Baterias de arranque não são construídas para abastecer os consumidores por períodos maiores de tempo. Além disso, são sensíveis a descargas profundas, que as danificam de modo permanente. A estabilidade de ciclos indica a durabilidade de uma bateria de arranque.

 

Uma grande variedade de tecnologias de baterias pode ser adquirida hoje no mercado. Elas funcionam fundamentalmente conforme o mesmo princípio: dois eletrodos com cargas diferentes, o polo positivo e o polo negativo, são interligados por uma camada adicional, o eletrólito. O eletrólito pode ser líquido, em forma de gel ou preso a uma camada de fibras. Quando o circuito elétrico se fecha, elétrons passam do polo negativo ao polo positivo liberando energia elétrica. No carregamento, esse processo é revertido através de tensão elétrica e a capacidade da bateria é restabelecida.

 

A tradicional bateria de chumbo-ácido é a bateria de arranque clássica. A produção industrial de baterias chumbo-ácido recarregáveis remonta ao ano de 1880. Esse tipo de bateria é formado por um eletrodo com chumbo metálico e um eletrodo com óxido de chumbo IV. Entre eles existem paredes divisórias, os chamados separadores. Os eletrodos são mergulhados em solução de 20-40% de ácido sulfúrico (H2SO4). As vantagens da clássica bateria chumbo-ácido são uma alta tensão e resistência por um baixo preço. Além disso, as baterias são quase completamente reutilizáveis e requerem relativamente pouca manutenção. As desvantagens são um peso considerável e sensibilidade a altas temperaturas, um tempo de carregamento longo e a suscetibilidade a sulfatações decorrentes de descargas profundas. A vida útil média é de aproximadamente 4 anos.
Esse tipo de bateria tem sido montado na maioria dos automóveis novos. As vantagens da bateria de cálcio são o baixo consumo de água, o baixo índice de autodescarga e a alta segurança contra acidentes. Além disso, as baterias de cálcio são resistentes a altas temperaturas e por isso apropriadas para serem montadas no compartimento do motor. Pontos fracos, no entanto, esse tipo de bateria apresenta na estabilidade de ciclos.
Essa variante da bateria chumbo-ácido é utilizada preferencialmente em veículos com início/parada automática. Ela possui tapetes de microfibras de vidro (Absorbent Glass Mat, AGM) entre as placas de chumbo, que absorvem todo o ácido da bateria. A vantagem desse sistema é a baixa resistência interna efetiva, que favorece uma rápida reação da bateria, permitindo que ela movimente altas quantidades de energia em pouco tempo. Além disso, as eficientes baterias AGM suportam cerca de quatro vezes mais ciclos de carregamento do que as tradicionais baterias de chumbo-ácido. A desvantagem é a sua produção ser mais trabalhosa e, consequentemente, seu custo mais elevado.
Essa estrutura especial da bateria AGM é concebida para cargas extremas. Como todas as baterias AGM, ela não possui eletrólito líquido, portanto é 100% à prova de vazamento. Em comparação com as baterias tradicionais, a tecnologia espiral oferece uma resistência à vibração até dez vezes maior, uma estabilidade de ciclos elevada e uma potência de arranque a frio extremamente alta. A expectativa de vida das baterias espirais é de até 15 anos.
A Enhanced Flooded Battery (EFB) é uma alternativa econômica para veículos com tecnologia simples de início/parada. Nessa variante, a bateria possui um tecido de poliéster. Essa malha na placa do eletrodo positivo absorve o material ativo – nesse caso, dióxido de chumbo – e possibilita um processo de carga e descarga com pouca resistência, rápido. Desse modo, a estabilidade de ciclos e, portanto, a vida útil da bateria pode ser mais ou menos duplicada.
Não é uma bateria de arranque propriamente dita e sim uma bateria tracionária para veículos com motor elétrico. Entre as suas vantagens estão a estrutura compacta, a carga intermediária simples e rápida, a falta do efeito de memória, a capacidade de desempenho mais elevada e a possibilidade de uso mais flexível. Além disso, o consumo de energia das baterias de íon de lítio é até 30% menor do que o das baterias de chumbo-ácido. Os sistemas de energia de íon de lítio são 100% isentos de manutenção e emissão. Entre as desvantagens das baterias de íon de lítio estão o fato de elas serem levemente inflamáveis e de ser complicado descartá-las.

Fronius Acctiva: sempre o carregador certo para sua bateria de arranque

Além de diferentes capacidades, hoje os fabricantes de automóveis, comerciantes, oficinas e motoristas podem optar entre inúmeras tecnologias de baterias distintas. A tecnologia de carregamento também precisa ser considerada nessa escolha. Os sistemas de carregamento de baterias da série Acctiva da Fronius são apropriados para todos os tipos de baterias de arranque, portanto são sempre uma solução rentável, eficiente e flexível para oficinas e salas de exposição. ir para os produtos

We think you are located in a different country

The country currently selected is Brasil. Would you like to stay on this page or do you want to switch to the local website?